A DIVERSA CORRETORA DE CEREAIS

Com uma equipe treinada, o objetivo da empresa é acompanhar o dia a dia do mercado e oferecer o melhor suporte possível ao agricultor nas negociações dos produtos do campo.


A empresa tem seu foco ainda, no assessoramento ao produtor rural, visando mantê-lo bem informado quanto ao mercado e suas tendências, subsidiando-o com informações relevantes para negociações atuais e futuras.


Hoje, a DIVERSA CORRETORA se tornou uma empresa sólida e com credibilidade no segmento, por isso, é referência para instituições públicas e privadas que buscam serviços nesse setor.



“DIVERSA CORRETORA AJUDANDO A VALORIZAR O TRABALHO E ESFORÇO DO PRODUTOR RURAL”

Notícias

01/06 ECONOMIA: Trump diz que vai adiar reunião do G-7 e busca novos membros

Porto Alegre, 1 de junho de 2020 - O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, disse que quer adiar a próxima reunião do G-7 (grupo composto por Estados Unidos, Japão, Alemanha, Reino Unido, França, Itália e Canadá) até o outono [no Hemisfério Norte] e pretende incluir outros países. As informações são da agência de notícias "Dow Jones". Trump disse no sábado a repórteres que viajavam no avião presidencial Força Aérea Um que ele estava planejando adiar o encontro. Ele queria restaurar o evento presencial em Washington em junho, depois de ter sido transformado em uma reunião virtual devido à pandemia do novo coronavírus. Trump disse que a cúpula pode acontecer no fim de semana antes ou depois da Assembleia Geral da Organização das Nações Unidas (ONU), programada para começar em 15 de setembro. Ele também disse que poderia ocorrer após as eleições gerais dos Estados Unidos, em novembro. O presidente disse que também quer incluir Rússia, Coreia do Sul, Austrália e India. "Não acho que o G-7 representa adequadamente o que está acontecendo no mundo. É um grupo de países muito desatualizado", disse ele. Ele disse que abordou a inclusão de aproximadamente mais quatro outros países e sugeriu que o grupo poderia ser um "G-10 ou G-11". A diretora de comunicações da Casa Branca, Alyssa Farah, disse que o objetivo do evento seria trazer aliados tradicionais para conversar sobre como lidar com o futuro da China. A reunião havia sido agendada originalmente para 10 e 12 de junho, mas Trump sugeriu que poderia acontecer no final do mês se os outros líderes viessem a Washington. A Casa Branca fez convites formais para os outros países membros, vendo o evento como uma oportunidade de enviar uma mensagem global de que o mundo estava reabrindo após a pandemia. Alguns manifestaram interesse, mas o escritório da chanceler da Alemanha, Angela Merkel, indicou sábado que ela não compareceria pessoalmente a menos que a propagação do vírus mudasse, informou a "Associated Press". Trump já havia pedido que a Rússia fosse readmitida no grupo após a sua expulsão em 2014 devido à anexação da Crimeia. Outros líderes mundiais se opuseram à medida, insistindo em uma solução para a crise da Ucrânia primeiro. Com informações da Agência CMA. Revisão: Arno Baasch (arno@safras.com.br) / Agência SAFRAS Copyright 2020 - Grupo CMA

01/06 CORONAVIRUS: Casos e mortes continuam subindo no país; SP ensaia reabertura

Porto Alegre, 1 de junho de 2020 - O ritmo de crescimento de novos casos de covid-19 no Brasil desacelerou na semana encerrada no último sábado, mas o número de infectados e mortos pela doença continua aumentando. Em São Paulo, onde o governo começa a adotar providências para afrouxar medidas de quarentena em regiões menos atingidas pelo novo coronavírus, o crescimento semanal de novos casos mais que dobrou de velocidade. Segundo dados do Ministério da Saúde, na semana encerrada em 30 de maio o número de casos novos de covid-19 no Brasil somou 151.042, um aumento de 32,2% em relação à semana anterior, quando o número de novos infectados havia crescido 48,0%, para 114.256. Em São Paulo, o número de novos casos acumulados na semana até 30 de maio somou 26.584, o que representa aumento de 37,2% em relação à semana anterior, quando os novos casos no estado haviam aumentado 15,5%, a 19.375. As novas mortes por covid-19 aumentaram 6,9% na semana até 30 de maio, a 6.821, também desacelerando o ritmo de crescimento em relação à semana anterior, quando somaram 6.380 e haviam aumentado 27,4%. Ontem, o Brasil registrou 16.409 casos novos de covid-19, o que coloca o total de pessoas infectadas em 514.849. A expectativa, segundo o Centro de Integração de Dados e Conhecimentos para a Saúde da Fiocruz, é que até quinta-feira haja 724.507 pessoas contaminadas pela doença. O número de óbitos causados pela covid-19 no Brasil cresceu em 480 ontem, para um total de 29.314 pessoas. REABERTURA Na semana passada, os governos de São Paulo e da capital paulista anunciaram que começarão um processo de reabertura da economia. O grau de retomada variará de acordo com a incidência da covid-19 e com a infraestrutura hospitalar da região. Na maior parte do estado - inclusive na capital - poderão voltar a funcionar, com algumas restrições, atividades imobiliárias, concessionárias de automóveis, escritórios, comércio de rua e shoppings centers. Em outras regiões, bares e salões de beleza também poderão abrir, ainda que de forma restrita. Em algumas regiões com alto número de habitantes, porém, a quarentena continuará como estava - caso dos municípios vizinhos à capital e da Baixada Santista. Em todos os 645 municípios de São Paulo, a indústria e a construção civil seguem funcionando normalmente, mas espaços públicos, teatros, cinemas e eventos que geram aglomerações permanecem interditados por tempo indeterminado. Com informações da Agência CMA. Revisão: Arno Baasch (arno@safras.com.br) / Agência SAFRAS Copyright 2020 - Grupo CMA

01/06 CARNES: Governo de SC auxilia na reabertura de frigorifico em Ipumirim

Porto Alegre, 1 de junho de 2020 - A Justiça desinterditou a planta frigorífica da JBS da cidade de Ipumirim, no Meio-Oeste catarinense, em um despacho no último sábado (30). A decisão contou com o envolvimento do Governo do Estado, que atuou ao lado dos produtores de carne para evitar o abate sanitário de 650 mil aves, o que provocaria um grande problema ambiental para a região. O governador Carlos Moisés comemorou a decisão judicial e lembrou a importância econômica do setor agroindustrial para Santa Catarina. Segundo ele, os frigoríficos estão comprometidos em respeitar as normas sanitárias determinadas pela administração estadual. "A decisão da Justiça do Trabalho de desinterditar a planta de Ipumirim é acertada. Nossas exportações são fundamentais para a economia neste momento. Trabalhamos para garantir a saúde dos trabalhadores do campo e da agroindústria. A condição sanitária de Santa Catarina é reconhecida mundialmente e nossa intenção é manter esse status, mesmo com a pandemia", afirmou Carlos Moisés. O secretário da Agricultura, Ricardo de Gouvêa, explica que a paralisação de uma planta frigorífica tem reflexos imensos na produção de suínos e aves em Santa Catarina. Ainda na sexta-feira, 29, a Secretaria de Estado da Agricultura, Pesca e do Desenvolvimento Rural e a Cidasc oficializaram a preocupação com a manutenção da interdição e o possível abate sanitário de 650 mil aves, represada no campo. Os principais temas levantados pelos órgãos do Governo do Estado foram os riscos de disseminação do coronavírus no meio rural, devido ao deslocamento de técnicos para realizar o abate e as ameaças para o meio-ambiente, saúde pública, sanidade e bem-estar animal. Setor agradece empenho do governo estadual Diretor executivo de agropecuária da JBS, José Antônio Ribas Junior salienta que, desde o início da pandemia de Covid-19, o Estado tem mantido um amplo canal de diálogo com o setor produtivo. Antes mesmo de a empresa ter solicitado o abate sanitário, os órgãos do governo estadual já atuavam para garantir que não houvesse interrupção na cadeia produtiva. Segundo Ribas, as argumentações dadas pelo Executivo estadual ajudaram a sensibilizar a Justiça a fim de garantir a desinterdição. "Essa ação conjunta do Governo do Estado com o setor produtivo ajudou a mostrar o quão grave seria o problema ambiental de se abater 650 mil aves sanitariamente. Temos um amplo canal de diálogo com o Executivo e isso com certeza auxiliou a sensibilizar a juíza. Houve uma mobilização de prefeitos e lideranças legislativas muito forte também", explica Ribas. Para o gerente do Sindicarnes, Jorge de Lima, o retorno da produção em Ipumirim é uma boa notícia para Santa Catarina, uma vez que dá a certeza que o Estado trilha o caminho da segurança sanitária nos trabalhos em seus frigoríficos "O Estado nos ajudou e muito a mostrar as consequências do fechamento, além de garantir que os funcionários trabalham em um ambiente seguro", contou Na próxima semana, o setor de carnes aguarda por um decreto-lei interministerial, por parte do Governo Federal, para unificar os regramentos e garantir que não haja novas interdições. De acordo com Ribas, o setor está comprometido a seguir as regras, uma vez que o fechamento de uma planta frigorífica acarreta uma série de problemas para as empresas. Reforço nos protocolos Garantir a segurança alimentar da população e, ao mesmo tempo, proteger os trabalhadores ligados ao agronegócio são as prioridades da Secretaria de Estado da Agricultura, da Pesca e do Desenvolvimento Rural de Santa Catarina. O agronegócio catarinense, em especial a indústria da proteína animal, tem uma cadeia produtiva extensa e que trabalha em um ritmo constante. Santa Catarina é referência internacional no cuidado com a saúde de seus rebanhos e na qualidade de seu agronegócio, com produtos que chegam aos mercados mais competitivos e exigentes do mundo. E todos os esforços estão voltados para manter esse status e seguir com a nobre missão de alimentar o mundo. Liderança no Agronegócio Santa Catarina é o maior produtor de suínos, o segundo maior produtor de aves e o quarto maior produtor de leite do Brasil. O agronegócio é o carro-chefe da economia catarinense, respondendo por mais de 30% do Produto Interno Bruto do estado e por 70% das exportações no primeiro quadrimestre de 2020. Com informações da assessoria de imprensa da Secretaria Executiva de Comunicação do Governo de Santa Catarina. Revisão: Arno Baasch (arno@safras.com.br) / Agência SAFRAS Copyright 2020 - Grupo CMA

RSS COTAÇÕES

Cotação/Data
Último
Diferença
MAXIMO
MININO
Soja Mar/2017
1022.750S
-3.500
1031.750
1022.250
Soja May/2017
1033.500S
-3.750
1042.500
1033
Soja Jul/2017
1043S
-3.250
1051.250
1042.250
Milho Mar/2017
371S
+1.750
372.750
369.250
Milho May/2017
378.250S
+1.750
379.750
376.250
Milho Jul/2017
385.500S
+1.750
387
383.500
Farelo Mar/2017
335.0S
-2.4
338.1
334.8
Farelo May/2017
339.5S
-2.4
342.4
339.2
Farelo Jul/2017
342.9S
-2.2
345.6
342.6
Oleo de Soja Mar/2017
32.72S
+0.05
33.10
32.61
Oleo de Soja May/2017
33.00S
+0.05
33.39
32.90
Oleo de Soja Jul/2017
33.27S
+0.05
33.66
33.18
Trigo Mar/2017
441.250S
+5.250
441.750
435.250
Trigo May/2017
456S
+6.250
457
450
Trigo Jul/2017
469.750S
+5.500
470.750
464.500

Moeda
ÚLTIMO
VARIAÇÃO
DATA
HORA
MAXIMO
MINIMO
Dolar Comercial
5.4070
+1.31
01/06/2020
15:41
5.4210
5.3130

Fale Conosco

Rua Rio Branco esquina com Av. Cuiabá, Ed. Comercial Montello, Sala 205 Centro, Rondonópolis - MT 78700-170

diversa@diversacorretora.com.br
marcia@diversacorretora.com.br

(66) 3439-3300 (66) 3439-3318